O Treinamento de Sustentação Oral para Procuradores do Estado, oferecido pela APEG em parceria com o Instituto Carlos André, foi encerrado nesta quarta-feira, 27, com um aula prática comandada pelo advogado e ex-presidente da Ordem Dos Advogados do Brasil – Seção Goiás, Lúcio Flávio Paiva.

Confira imagens do evento.

O evento encerrou um ciclo de 8 aulas com professores convidados, Marcos César e Valter Ventura, e o professor Carlos André, coordenador da formação. O enfoque foi a partilha de técnicas de oratória e de sustentação oral. No total, 20 procuradores participaram da formação, iniciada em maio.

“A Procuradoria do Estado de Goiás é aquilo que há de mais excelente em advocacia pública no estado, não só por causa de uma questão institucional, legal, porque defende o estado, mas pelos profissionais que aqui estão”, afirmou Carlos André durante o encerramento do treinamento. Ele ressaltou a qualidade dos Procuradores e afirmou que, a partir das aulas realizadas, eles ganham em consciência técnica e linguística para que a sustentação oral seja mais eficiente.

Em todas as aulas, técnica e prática estiveram presentes para garantir o melhor aproveitamento da sustentação oral durante um julgamento. “A Procuradora vai fazer uma defesa melhor e, consequentemente, o povo goiano será beneficiado. A sustentação oral é uma das grandes ferramentas do mundo jurídico”, afirmou Carlos André, que é advogado e linguista, um dos grandes nomes dessa área.

Convidado para a última aula, o advogado Lúcio Flávio destacou a alegria de voltar à APEG e contribuir para a formação dos colegas de profissão. Conhecido pela oratória, ele escolheu compartilhar a experiência e dicas para o dia a dia acumulados em 20 anos de advocacia. “É preciso entender que tipo de argumentação convence e quais não dão certo. A sustentação oral é também um processo de maturação do profissional.”

Experiência
Para o Procurador Público Felipe Spencer, que assumiu o cargo em abril de 2022, o treinamento foi excelente pela escolha do tema. “Muitas vezes fazemos sustentação oral pelo feeling, pela experiência, então quando você tem uma teoria e uma atividade que é quase artesanal, isso te dá muita segurança no que vai fazer e te dá mais elementos para se preparar melhor.”

A opinião de Felipe é sustentada também pelo colega Paulo André Urbano, que é Procurador há 8 anos. “Eu sou da linha de que a teoria torna a prática segura. Com um treinamento desse, você aprende o que é uma boa sustentação oral e passa a ter um método. Com o método você consegue defender melhor o Estado e logo está defendendo o interesse da população.”

Os Procuradores inscritos puderam, durante o curso, aprender as principais técnicas de sustentação oral: como começar, como trazer lógica e persuasão para a fala e como concluir uma sustentação oral e a oratória com enfoques na voz. No final do evento, foi entregue certificado a todos os participantes presentes.

“A APEG tem, entre suas atribuições, contribuir com o aprimoramento da carreira dos Procuradores do Estado associados. E esse treinamento faz parte dessa diretriz. Estamos bastante felizes com o resultado e com o engajamento dos colegas com essa proposta”, afirmou Claudiney Rocha, Presidente da APEG.

Assessoria de Comunicação da APEG | Ampli Comunicação

Voltar